Mergulho intimo e solitário,
na mais pura água cristalina,
alma se transforma num rio,
consciência flui e se desatina.

Fogo que queima me consome,
o corpo arde em vã contorção,
mundo estático nada tem nome,
na vã tentativa dispara o coração.

Tendo fingir que nada acontece,
mas você ali com o olhar infantil,
e no rosto a calma de uma prece.

Então meu mundo gira como pião,
antes eu morrer deste sonho pueril,
do que viver assim sem CONSOLAÇÃO.

Ermindo Gomes Rocio










Melhor visualizado na resolução de 1280X768