Lâmina de aço reluzente,
desce solene brilhante,
fio na carne cortante,
sobe vermelha pungente.


Gota amarga que desce,
entranhas abaixo fenece,
um grito de dor estremece,
na cor do sangue que desce.


Sol já ausente a noite caía,
nos seus olhos eu me perdia,
tristeza era só o que sentia,
pranto, e dor na alma vertia.


E assim a lâmina nos separou,
sabor amargo da saudade ficou,
você se foi minha vida passou,
na boca a gota amarga restou.
Ermindo Gomes Rocio




ERMINDO GOMES ROCIO - VOLTAR

Criação de Páginas