Ao teu lado sempre estarei,
por mais longe que estejas,
sempre haverá uma lembrança de mim,
por mais fútil que seja.

Nas músicas que ouvirás,
 tu me lembrarás,
nas pessoas a passar,
 muitas vezes tu verás
um vulto igual ao meu,
e seu coração palpitará.
Do calor do meu abraço,
da pressão de minhas mãos,
por maior que seja o espaço,
sempre sentirás a sensação.
Então,
ao teu lado eu estarei,
por mais longe que estejas, 
sempre haverá uma lembrança de mim
por mais fútil que seja.

Quando o tempo passar,
 e a solidão apertar,
quando tudo for lembrança,
e toda esta ilusão acabar,
quando a dor chegar de mansinho,
procurarás então um ninho ou abrigo,
do vazio desta vida sem encontrar guarida,
ou nem mesmo o ombro de um  amigo.
Então,
ao teu lado eu estarei,
por mais longe que estejas 
sempre haverá uma lembrança de mim
por mais fútil que seja.

Quando nada mais restar aí hás de lembrar,
 e triste recordar que um dia eu já fui teu,
que um dia fostes minha, 
fiz castelos fui ateu,
te adorei como rainha.
No entanto desprezastes,
 a coroa sem razão,
indiferente tu quebrastes, 
o meu sonho com um não.
No entanto te acompanharei,
não adianta partires,
os meus passos ouvirás,
 os teus sonhos eu serei,
meu rosto sempre verás,
no espelho que te dei.
E assim,
ao teu lado sempre estarei,
por mais longe que estejas,
sempre haverá uma lembrança de mim,
por mais fútil que seja.

Por isto tenho esperança e te espero,
Espero-te com carinho e com paixão,
pois as poças do caminho são às vezes,
de CHUVAS DE VERÃO.

Ermindo Gomes Rocio

 



ERMINDO GOMES ROCIO - VOLTAR

Criação de Páginas