Cativo então dos encantos teus,
prisioneiro dos meus devaneios,
vejo-te passar sem notar meus
olhares de amor, meus anseios.

Como animal arredio na caçada,
olhar felino seguindo o teu andar,
sedutor e feminino subir a calçada,
coração dispara em vão a pulsar.

Sinto-me então perdido, subjugado,
rendo-me furtivo ao meu puro amor,
a esperança se vai no soluço sofrido.

Calado sonho em meu vão devaneio,
pêlos arrepiados, ardendo de fervor,
do amor que passou, foi e não veio !

Ermindo Gomes Rocio



ERMINDO GOMES ROCIO - VOLTAR

Criação de Páginas