Quem me dera pudesse eu, 
seu amor poder conquistar, 
sentir o calor do corpo seu, 
e minha pele na sua a  tocar. 

 
 
Na penumbra do meu quarto, 
vislumbro sua silhueta esquia, 
a me provocar com seu recato, 
seu movimento meu olhar guia. 
Sou então escravo de triste sina,
viver na ilusão e como em sonhos,
ver o  seu rosto em cada esquina.
Ah ! como  gostaria um dia poder,
inverter nossos papéis bisonhos,
e você então sentir todo meu sofrer.

Ermindo Gomes Rocio



ERMINDO GOMES ROCIO - VOLTAR

Criação de Páginas